Felipa Almeida

DSCF5584.jpg
 

Desde que conhecemos a dupla Ana Anahory e Felipa Almeida que admiramos a qualidade e atenção ao detalhe do seu trabalho. No seu atelier em Lisboa, desenvolvem projectos onde a pesquisa e o respeito pela tradição são elementos essenciais. Essa dedicação e compromisso com a cultura de cada local faz com que criem ambientes acolhedores, genuínos, alegres e personalizados.
Colaborando sempre com talentosos artistas, designers e artesãos, o trabalho do atelier AnahoryAlmeida vai muito para além da criação de espaços bonitos e intemporais, sendo um reflexo de um verdadeiro interesse pela história e pela forma como as coisas são feitas.
Falámos com Felipa Almeida sobre o seu trabalho, a sua casa e o bairro onde vive:

Fala-nos um pouco de ti...
Sou mãe de 4 filhos e criei o atelier AnahoryAlmeida com a minha sócia Ana Anahory em 2011. Formada em História de Arte, sou a única dentro do atelier que não é arquitecta. Responsável pela pesquisa e pelas colaborações com artistas e artesãos, tenho tido a sorte de andar pelo país fora a conhecer o mundo criativo nacional.

Casa de Felipa Almeida

Casa de Felipa Almeida

O que mais gostas na tua casa?
Da proximidade com a natureza e o jardim. A casa é de 1959 e foi muito bem desenhada. A luz é muito harmoniosa. A outra coisa especial é a vivência que temos com a familia e os amigos. É uma casa de convívio com muita música e muitas crianças.

O que é para ti a casa 'perfeita'?
É uma casa pensada e vivida com amor. É uma casa de lembranças. Temos uma história muito bonita porque a comprámos a uma familia que tinha acabado de perder o Pai, e a Mãe tinha decidido vender a casa porque não queria ficar lá sozinha, visto os filhos já não viverem com ela. Na escritura alguns choravam. Eles desejaram que fossemos tão felizes na casa como eles tinham sido. Nós prometemos alterar o mínimo e assim foi. Depois de uns meses de lá estarmos a viver convidámos todos para um lanche como passagem de testemunho. Hoje em dia ainda estamos em contacto.

“A casa perfeita é essa: a que permite vivenciar felicidade que passa de habitante para habitante.”

O exterior da casa

O exterior da casa

Vives onde?
No Restelo. Quando fui para lá não conhecia bem o bairro. O facto de ter um jardim já me faz gostar de lá viver. E depois tenho descoberto Monsanto para passeios a pé ou de bicicleta e a proximidade com o Rio, Belém e a Ajuda. Estou a adorar!

E se não vivesses aí, onde gostarias de viver?
Penso que seria em Campo de Ourique, o bairro onde temos o atelier e a escola das crianças. Prático e autêntico.

A cozinha

A cozinha

Porque gostas de Lisboa?
Eu sou Portuguesa mas cresci longe de Portugal. Só vivo cá há 13 anos. Considero-me com sorte por me sentir enraizada e ao mesmo tempo ainda me entusiasmar com tanto por descobrir. É um bom compromisso! Gosto da Gulbenkian e do Palácio Marquês da fronteira pela inspiração, dos Gazeteiros e Izcalli pela gastronomia e do Monsanto pela magia.

O escritório

O escritório

Que projecto ainda não fizeram e gostariam de fazer?
Gostaríamos de poder desenvolver a nossa linha de mobiliário e idealmente ter uma loja onde o vender com outras peças de artesanato.

Se tem uma casa para vender, fale connosco

 
 
Casa da Quinta das Murças

Casa da Quinta das Murças

Casa da Quinta das Murças

Casa da Quinta das Murças

Casa da Quinta das Murças

Casa da Quinta das Murças

São Lourenço do Barrocal

São Lourenço do Barrocal

São Lourenço do Barrocal

São Lourenço do Barrocal

São Lourenço do Barrocal

São Lourenço do Barrocal

Páteo do Bairro do Avillez

Páteo do Bairro do Avillez

Páteo do Bairro do Avillez

Páteo do Bairro do Avillez